Fluxo de caixa é um instrumento gerencial que controla e informa todas as movimentações financeiras.

  • Planejar e controlar as entradas e saídas de caixa num período de tempo determinado.
  • Auxiliar o empresário a tomar decisões antecipadas sobre a falta ou sobra de dinheiro na empresa.
  • Verificar se a empresa está trabalhando com aperto ou folga financeira no período avaliado.
  • Verificar se os recursos financeiros são suficientes para tocar o negócio em determinado período ou se há necessidade de obtenção de capital de giro.
  • Planejar melhores políticas de prazos de pagamentos e recebimentos.
  • Avaliar a capacidade de pagamentos antes de assumir compromissos
  • Conhecer previamente (planejamento estratégico) os grandes números do negócio e sua real importância no período considerado.
  • Avaliar se o recebimento das vendas é suficiente para cobrir os gastos assumidos e previstos no período considerado.
  • Avaliar o melhor momento para efetuar as reposições de estoque em função dos prazos de pagamento e da disponibilidade de caixa.
  • Avaliar o momento mais favorável para realizar promoções de vendas visando melhorar o caixa do negócio.

Saldo Inicial: é o valor constante no caixa no início do período considerado para a elaboração do Fluxo. É composto pelo dinheiro na “gaveta” mais os saldos bancários disponíveis para saque.

Entradas de Caixa: correspondem às vendas realizadas à vista, bem como a outros recebimentos, tais como duplicatas, cheques pré-datados, faturas de cartão de crédito etc., disponíveis como “dinheiro” na respectiva data.

Saídas de Caixa: correspondem a pagamentos de fornecedores, pró-labore (retiradas dos sócios), aluguéis, impostos, folha de pagamento, água, luz, telefone e outros, entre eles alguns descritos em
nosso modelo.
Saldo Operacional: representa o valor obtido de entradas menos as saídas de caixa na respectiva data. Possibilita avaliar como se comportam seus recebimentos e gastos periodicamente, sem a influência dos saldos de caixa anteriores.
Saldo Final de Caixa: representa o valor obtido da soma do Saldo Inicial com o Saldo Operacional.
Permite constatar a real sobra ou falta de dinheiro em seu negócio no período considerado e passa a ser o Saldo Inicial do próximo período.

Custos Diretos

São gastos diretamente relacionados aos produtos e podem ser mensurados de maneira clara e objetiva, ou seja, referem-se às quantidades de materiais e serviços utilizados na produção de um determinado produto. Exemplos de custos diretos comuns na indústria:
matérias-primas, materiais de acabamento, componentes e embalagens. Em alguns casos, a mão-de-obra aplicada na produção poderá ser considerada um custo direto. Para que isso ocorra, torna-se necessária a mensuração do tempo utilizado na fabricação do produto.

Custos Indiretos

São gastos não diretamente relacionados aos produtos, portanto, não são mensuráveis de maneira clara e objetiva. Neste caso, tornase necessário adotar um critério de rateio (distribuição) para alocar
tais custos aos produtos fabricados, como por exemplo: aluguel, manutenção e supervisão da fábrica etc. Esta classificação dos custos em diretos e indiretos tem como objetivo avaliar os estoques de produtos em elaboração e acabados (prontos para a venda).

tag’s
Fluxo de Caixa – ERP Fluxo Caixa – Sistema Fluxo Caixa – Software Fluxo de Caixa