Gestão Empresarial mudanças na TI

Gestão Empresarial mudanças na TI. Mudanças no formato da tecnologia da informação (TI) estão fazendo com que os líderes da área questionem o papel da TI e suas funções na organização, avalia o instituto de pesquisas Gartner.

Na medida em que as empresas enfrentam a incerteza econômica, as dinâmicas de mercado em constante mudança e a descontinuidade cultural, criadas pela inovação tecnológica, seus setores exigem maneiras diferentes de interagir com a TI.

“Estamos testemunhando o surgimento de uma nova geração de CIOs, que não focam tanto em ‘rodar’ a TI para garantir que o negócio conquiste valor estratégico do uso de tecnologia”, afirma John Mahoney, vice-presidente e analista do Gartner. “Embora isso não seja novo, a extensão da modificação é crescente e um ponto de inflexão será atingido nos próximos cinco anos”, completa.

O Gartner identificou quatro futuros dominantes de TI na organização.

TI como provedora global de serviços
Nesse cenário, a TI é expandida e integrada à unidade de serviço compartilhado, que funciona como um negócio, oferecendo serviços de TI e processos de negócios. É praticamente ou totalmente centralizada, focando em áreas de negócio e seu valor e adota uma perspectiva de marketing. Além disso, capitaliza sobre a sua posição interna e fornece serviços competitivos.

TI como “Engine Room”
Recursos de TI são entregues rapidamente ao mercado a preços competitivos. A área de Tecnologia da Informação obtém sucesso por meio do monitoramento da tecnologia e do mercado e construção de conhecimento para otimizar ativos de TI. Oferece melhorias de custo, procura novas formas de entregar os mesmos recursos de TI e é altamente sensível às necessidades empresariais em constante mudança.

TI é o negócio
A informação é produto explícito do negócio ou, pelo menos, é inseparável de seu produto. O negócio está estruturado em torno de fluxo de informação (e não processo ou função) e TI na cadeia de valor, em vez de apenas suportar serviços.

Todos de TI
Os líderes de negócios e seus times utilizam tecnologias de informação de forma agressiva para romper barreiras tradicionais e promover colaboração. O foco é a informação, e não a tecnologia. Empresas altamente maduras abraçam esse modelo por seu potencial colaborativo e inovador. Ele funciona em situações não-tradicionais, como empresas dinâmicas, startups e comunidades de pesquisa e desenvolvimento (P&D).