Sob administração do Google, Motorola Mobility vai demitir 4 mil

Ordem é cortar 20% da força de trabalho e fechar quase 30% de escritórios no mundo
O Google decidiu cortar 20% da força de trabalho da Motorola Mobility, ou 4 mil empregos, e fechar quase 30% de escritórios da companhia no mundo, como parte do plano de reestruturação da companhia. E expectativa é a de que cerca de 30% dos 4 mil empregados demitidos sejam dos Estados Unidos, embora a Google não tenha especificado onde os cortes serão feitos.

A Motorola Mobility tem unidades no Brasil: um escritório em São Paulo e uma fábrica em Jaguariúna, interior do estado.

“O objetivo desses cortes é fazer a unidade de aparelhos móveis da Motorola voltar a dar lucro, após ter perdido dinheiro em 14 dos últimos 16 trimestres”, diz o documento da Google enviado à Securities and Exchange Commission (SEC). A previsão é a de que sejam gastos 275 milhões de dólares em indenizações no terceiro trimestre.

A empresa anunciou que também vai concentrar esforços na produção de dispositivos high-end. Segundo comunicado emitido ontem (12/8) pela companhia, cerca de dois terços da redução de pessoal vai acontecer fora dos Estados Unidos.

A Google concretizou a aquisição da Motorola Mobility em meados de maio desta ano. A empresa levou cerca de nove meses desde o anúncio de que planejava comprar a Motorola por aproximadamente 12,5 bilhões de dólares (juntamente com suas 24.500 patentes), e a aprovação do negócio por parte das autoridades reguladoras chinesas. Desde então o objetivo passou a ser focar a Motorola em poucas, mas grandes apostas, e criar dispositivos que sejam utilizados por pessoas ao redor do mundo.

Durante o primeiro trimestre, a Motorola Mobility foi a oitava maior fabricante de celulares no mundo, contabilizando unidades vendidas a usuários finais, representando 2% de parcela de mercado, de acordo com a Gartner.

No último trimestre fiscal, encerrado em 30 de junho, a Motorola obteve receita de 1,25 bilhão de dólares, cerca de 10% da receita total da Google. Mas a Motorola também representou uma perda operacional de 233 milhões de dólares, o que reduziu o lucro operacional da Google total em seis pontos percentuais.

Em entrevista ao jornal The New York Times, Dennis Woodside, executivo-chefe da Motorola Mobility, disse que a empresa planeja reduzir o número de dispositivos produzidos (eram 27 no ano passado), para apenas alguns. Ele afirma que quer que os aparelhos incluam sensores que reconhecem quem está em uma sala apenas pela voz, câmeras que tiram fotos mais nítidas e baterias que duram dias, disse.

A empresa tem 94 escritórios no mundo, e vai centralizar operações de pesquisa e desenvolvimento em Chicago, Sunnyvale, Califórnia e Pequim.