IBM registra queda nos lucros e vendas de hardware

IBM registra queda nos lucros e vendas de hardware. Os lucros da companhia caíram 21% durante o primeiro trimestre fiscal de 2014, afetados pela queda das vendas e custos com cortes de pessoal.

A venda de hardware em queda e os custos com as demissões de pessoas atingiram fortemente os resultados da IBM no seu primeiro trimestre fiscal de 2014, afetando principalmente os lucros, que ficaram 21% menores que no mesmo período do ano anterior.

A IBM teve lucros de 2,4 bilhões no trimestre, 600 milhões de dólares menores que os 3 bilhões de lucro no primeiro trimestre de 2013. Seus ganhos por ação caíram 15%, ficando em 2,29 dólares.

A receita da companhia no período teve queda de 4% se comparada com o mesmo trimestre de 2014, fechando o período em 22,5 bilhões de dólares. Os resultados do primeiro trimestre de 2014 refletem também um desconto de 870 milhões de dólares feito pela companhia para reajustes da força de trabalho.

Ao longo dos últimos anos, a empresa vem cortando parte de suas equipes em diferentes áreas na medida em que move sua estratégia para ampliar a atuação em serviços de cloud e analytics. E cerca de 6 mil funcionários da IBM nos EUA ainda estão sob risco de perder seus empregos este ano.

“No primeiro trimestre continuamos a agir para transformar partes do negócio e mudar agressivamente para nossas áreas de crescimento estratégico. Na medida em que nos movemos por 2014 vamos começar a ver os benefícios dessas medidas”, disse a presidente e CEO da IBM, Ginni Rometty, em declaração distribuída após o anúncio dos resultados.

A região mais afetada pela queda de vendas foi Ásia-Pacífico, que caiu 12%, fechando o trimestre com receita de 5 bilhões de dólares. A receita das Américas foi de 9,6 bilhões de dólares, 4% menor que em 2013. As receitas da Europa, Oriente Médio e África cresceram 4%, somando 7,6 bilhões de dólares.

A grande queda na receita veio da área de hardware, que assumiu uma tendência de declínio. A receita da área de Systems and Technology caiu 23% no trimestre, comparado com o ano anterior, fechando em 2,4 bilhões de dólares no período. As vendas de mainframe System Z caíram 40% e a receita da divisão de servidores Power System ficou menor 22%.

Receitas dos negócios de serviços da IBM também tiveram queda. A divisão de Global Technology Services vendeu 9,3 bilhões de dólares, 3% menos que no ano anterior. E a divisão de Global Business Services manteve a receita estável, em 4,5 bilhões de dólares, praticamente o mesmo que em 2013.

A área de software teve desempenho ligeiramente melhor, gerando receita de 5,7 bilhões de dólares, o que é 2% maior que em 2013. Produtos importantes de middleware da IBM, que incluem WebSphere, Information Management, Tivoli, Workforce Solutions e Rational subiram 4% as vendas sobre o mesmo trimestre de 2013, fechando o período com receita de 3,7 bilhões de dólares.

Reorganização estratégica

A empresa está se reformulando em torno de áreas onde enxerga crescimento no futuro e que refletem vendas de alto valor. “Conforme nos movemos para essas áreas de crescimento, também estamos tomando decisões de eliminar negócios que não mais se encaixam no nosso perfil estratégico”, disse Martin Schroeter, vice-presidente sênior e CFO da IBM durante a conferência de voz com investidores.

“Muitas dessas medidas impactam nossos resultados em curto prazo, mas têm benefícios a longo prazo”, garantiu Schroeter.

Duas medidas recentes, em particular, mostram para que direção a IBM está apontando.

Em janeiro, a IBM anunciou que está investindo 1,2 bilhão de dólares para expandir seus serviços de cloud globalmente. Usando a recente compra da SoftLayer como plataforma, a empresa planeja tocar 40 data centers de nuvem em 15 países, marcando presença em todos os centros financeiros importantes, disse Schroeter. Já nesse primeiro trimestre, os serviços de cloud da SoftLayer agregaram receita substancial à divisão de Global Technology Services, segundo o CFO.

Também em janeiro, a IBM decidiu vender a divisão de servidores System X para a Lenovo e esse trimestre mostrou que essa área continua em queda de vendas, já que a receita dos System X declinaram 18%. Os produtos System X, segundo  Schroeter, “não se encaixam no modelo de venda de alto valor que a IBM está buscando”.

Schroeter estava mais otimista com o lançamento da nova geração dos servidores baseados na plataforma Power8 que, segundo ele, está mais preparada para trabalhos de grande volume que virão com o big data.

Fonte: IDGNow

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *